“Tentámos arrombar a porta mas não conseguimos, enquanto lá dentro o homem gritava por causa do fogo”, diz Paulo Oliveira, o primeiro a aperceber-se das chamas que destruíram, anteontem à noite, um apartamento em Cucujães, Oliveira de Azeméis. O proprietário sofreu queimaduras de 2º grau em 90 por cento do corpo.

O incêndio deflagrou cerca das 21h15, quando Cândido Santos, de 59 anos, se encontrava sozinho em casa com o cão.

Paulo veio à varanda e apercebeu–se das chamas já altas no segundo andar do prédio em frente. Correu para o local e tocou em todas as campainhas. “Se não fosse ele a avisar-nos poderia ter sido uma tragédia”, diz um morador.

Minutos depois chegaram os Bombeiros de Oliveira de Azeméis que resgataram o homem já desfalecido. Cândido foi de imediato transportado ao Hospital de Gaia, onde deu entrada na Unidade de Queimados em estado crítico. Ontem, o seu prognóstico era reservado.

Cerca de uma hora depois os bombeiros encontraram o cão também sem sentidos. O animal foi reanimado com oxigénio no local pelos bombeiros e levado para o veterinário de emergência. As causas do incêndio não são claras e a PJ foi chamada ao local para investigar.

(Francisco Manuel – Correio da Manhã, 26 de Fevereiro de 2013)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *